quinta-feira, abril 30

Lisboa, meu amor #2 | Uma viagem pelo álbum de fotografias

Lisboa é a minha cidade, o meu amor, a casa que vai ser sempre minha. Por isso, decidi partilhar com vocês Lisboa vista com os meus olhos. Toda a gente tem um sítio preferido, o meu fica entre o Terreiro do Paço e a Avenida Ribeira das Naus. Temos o mar pela frente, a cidade atrás de nós, com sorte alguém a cantar ou a tocar qualquer coisa, e é perfeito para fins de tarde!
No entanto, Lisboa não é só isto. É mar, sim, mas é principalmente gente, risos, sol e muita saudade. Sempre hei-de pensar que Lisboa é muito melancólica, muito de toda a gente, porque quem passa por cá apaixona-se sempre. Lisboa é barcos a atracar, turistas, falar alto e a bom som, pedir bitoques e beber café no fim. Eu amo Lisboa. É o lugar que mais me compreende e não podia ser mais orgulhosa por ser alfacinha.
Deixo-vos com algumas das minhas fotografias favoritas que tirei ao longo dos anos.

2011
2010

terça-feira, abril 28

Como fazer a mala em poucos minutos! | ANTES DE IR


Começamos outra rubrica aqui no blog: "ANTES DE IR"! O primeiro post não podia ser mais óbvio. Quem é que, como eu, faz as malas à pressa e esquece-se sempre de qualquer coisa? Podem-se acusar, aqui ninguém vos julga. Eu sou uma dessas pessoas que bem precisa de lições deste pequeno génio. Não sei o nome do rapaz mas sei que fez um autêntico milagre: colocou roupa para um mês naquela mala minúscula. UM MÊS.
 Vejam o vídeo e tirem notas! Para a próxima vez já saberão como fazer! Eu cá gostei muito da técnica de meter as meias dentro dos sapatos. E vocês?

segunda-feira, abril 27

Keep calm cause it's King's Day! | HOLANDA

Tudo laranjaaaaaa! Poooois é, hoje os dutchies (como eu carinhosamente gosto de lhes chamar) estão de folga. Porquê? Porque é o aniversário do Rei Willem-Alexander. E eles certamente sabem como dar uma festa e, por isso mesmo, é neste dia, 27 de Abril, que todos saem à rua vestidos de laranja e vão curtir para a rua os melhores DJ's (que os têm!), vender coisas velhas nos mercados e beber muita bebida laranja (sim, outra vez)! Toda a gente sabe que os holandeses são muito nacionalistas e adoram a sua laranja mecânica mais do que tudo e esta é uma das muitas provas disso. E nem só de festas se trata este dia: também é tradição comer os tradicionais tompouce com uma cobertura de laranja.

Os reis da Holanda, Willem e Máxima 
Amesterdão
Não só em Amesterdão mas em todas as cidades holandesas existe pelo menos uma festa dedicada a este dia. Em Roterdão, a minha futura casa, a festa dá-se na Rotterdam Bridge. E que saudades que eu tenho. Para o ano estarei vestida de laranja de certeza!

Angola, a terra dos embondeiros | ANGOLA

Foi no fim de 2009 que tive o prazer de conhecer esta terra que, como eu, se faz de extremos. Tinha 14 anos quando a minha mãe recebeu uma proposta para ir trabalhar para Angola, mais concretamente Luanda, e “maluca” como é, aceitou. Meses mais tarde, e bastantes lágrimas depois, lá embarquei nesta aventura pela terra dos embondeiros. 


Na minha visão de “pita” de 14 anos era praticamente o fim do mundo ir para um país a quase 8h de distância de avião das minhas amigas, das minhas rotinas e dos meus solos seguros. Foi certamente por isso que passei o ano que lá estive a azucrinar a cabeça dos meus, pacientes, pais para me mandarem de volta no primeiro avião para Lisboa; resultou. Na minha visão de “pessoa de 20 anos” (sim, aos 14 somos "pitas" mas aos 20 somos velhos de mais para sermos adolescentes e novos de mais para sermos adultos) foi das maiores e melhores experiências que já tive, e se tivesse ido com outro espírito tinha aproveitado o triplo.

Vista Hotel Presidente, Baía de Luanda
O que vos posso dizer sobre a minha estadia em terras de cor de tijolo é que aquele país é mesmo um país de extremos. Para começar ou se gosta ou não se gosta! Se fores com um espírito de aventura e de aceitação vais adorar a experiência, mas se fores com as “manias europeias” e o belo do salto alto então não passas do aeroporto.
A pobreza é evidente, porque é daquelas coisas que não se conseguem mascarar, mas ao invés de se sentarem no passeio de mão esticada agarram em qualquer coisa e, talvez vender não seja o termo, impingem. Acredita, se não encontrares em lojas o que procuras, vais encontrar na rua! No início vão-te pedir uma exorbitância, mas aí a táctica do meu pai não falha: usa a frase “sou pula mas sou angolano” e regateia até encontrares um preço justo. Compreende-os! É das cidades mais caras do mundo para uma população que não ganha para comer, mas que se mantém humilde e tem vergonha de comer na mesma mesa com um branco, num dos poucos centros comerciais que havia na altura. 




Quando está calor não há ar condicionado que nos valha, e livra-te de abrir a janela, caso contrário és devorada(o) por mosquitos. Já quando decide chover o melhor é procurares a arca de Noé e esperares até o dilúvio passar. Luanda literalmente parava quando chovia!  
Não posso falar de Luanda sem mencionar a Escola Portuguesa de Luanda onde concluí o 10º ano do curso de Línguas e Humanidades. A verdade é que o sistema de educação público em angola, embora não possa falar com grande conhecimento de causa, é muito limitado, mas se tiverem oportunidade de colocar os vossos filhos na Escola Portuguesa certamente não se irão arrepender. Os profissionais são excepcionais, os alunos são exemplares e as instalações fazem inveja a muitas escolas em Portugal. Aqui fica o meu mais sentido Obrigada a todos os professores, colegas e amigos com quem tive oportunidade de partilhar os melhores momentos e as maiores frustrações enquanto “pita” de 14 anos.  
Escola Portuguesa de Luanda
As marcas da guerra ainda estão presentes tanto nas pessoas como nos edifícios, e é por isso que ainda lhe chamo a terra dos palácios abandonados e dos paraísos perdidos. Posto isto, se tiveres oportunidade de voar até Angola não te fiques só pela Ilha de Luanda e pela Marginal, ícones na altura, mas com as melhorias que foram feitas já ouvi dizer que estão ainda mais bonitas. Se gostas de andar de barco vai até ao Mussulo, se não, viaja por terra até Sangano, onde podes comer um maravilhoso arroz de Lagosta, ou um Linguado que vem à posta (imagina só), Benguela, Barra do Dande, Barra do Kwanza, entre outros.  
Paraísos Perdidos, Benguela

Miradouro da Lua, Barra do Kwanza

Memórias da Guerra, Benguela

Palácio Abandonado, Benguela

No momento do regresso, e enquanto vais parando e parando no seu característico trânsito, espero que te lembres dela como eu: a terra dos embondeiros, das pessoas que chamavam pai grande ao meu pai e mais velha à minha mãe, dos azuis e brancos, da poeira no ar, do cheiro a terra molhada e do pôr-do-sol da cor das mangas que se compravam na rua, sem esquecer de pedir as quebra.


Clica aqui para veres mais fotos.

A 4039km de distância e com muita saudade,
Filipa

P.S.: Segue a nova novela da TVI "A Única Mulher"!

sexta-feira, abril 24

Lisboa, meu amor #1 | O Labirinto


Inicia-se assim uma das rubricas do blog. Para começar em bom, vamos até Lisboa!
Quem é que ainda não conhece o Labirinto Lisboa? É um espaço novo, perto do Mercado da Ribeira, e impróprio para cardíacos. Na sexta-feira passada passei por lá e acabei na Wall of Shame. I know, I know, shame on me. Segundo o segurança, a maioria que desiste, fá-lo na primeira sala. Mas recuando um pouco, perguntam vocês: mas que raio é o Labirinto Lisboa? Bom, é uma espécie de casa assombrada, composta por 17 salas com animações sobre a história de Portugal, mas em versão assombrada. Mete medo, muito medo, principalmente a pessoas como eu, mariquinhas que dá dó. No entanto, aconselho vivamente porque é uma experiência muito engraçada e não existe outra igual em Lisboa.


Ao início podem conhecer a Inveja, uma espécie de zombie muito fofinho que vos dá uma conversa genial e assusta, mas pouco. Depois, esperam algum tempo para a entrada (coisa propositada que tem como objectivo ficarem ainda mais nervosos) e depois entram finalmente no labirinto. É tudo escuro, muito assustador e a única coisa que vos posso dizer é para levarem alguém a quem se possam agarrar com muita força!


Visitem o site e o Facebook do Labirinto. Assiste ainda à reportagem que a SIC fez. Eles aceitam cadáveres às Quartas, Quintas, Sextas, Sábados e Domingos!

quinta-feira, abril 23

The First

Olá a todos!

Como é que havemos de começar um blog? Não temos bem a certeza. O início é sempre o mais difícil.
Este blog não é só outro blog. Não. É um projecto, no fundo. Foi criado com muito amor e carinho e a pensar em nós, mas também em vocês. Nós somos a Sofia e a Filipa, duas amantes de viagens e do mundo lá fora. Para começar uma das mais entusiasmantes etapas da nossa vida, decidimos criar um blog para podermos partilhar tudo. Original, certo? Nós sabemos que sim.
Podíamos fazer uma grande introdução mas queremos que este blog, e tudo o resto, fale por si. Aqui postaremos tudo o que se relacione com a nossa grande aventura, sejam textos, fotografias, vídeos e não só. Prometemos fazer uma jornada à Benfica (que o somos), e principalmente queremos contar com o vosso apoio também. Este blog não somos só nós e os nossos devaneios: queremos que nos contes as tuas histórias, quer sejas estudante no estrangeiro, emigrante ou apenas viajante. Porque, no fundo, para além do nosso diário de bordo, queremos que este lugar seja uma troca de experiências.

Esperamos que gostes e embarques connosco (literalmente)!

A 4039km de distância,
S&F